REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Candomblé de Caboclo, Oxossi e a Umbanda



Das três principais etnias Nagô (ou Kétu), Fon (ou Jeje) e Angola (ou Bantu) que deram forma ao Candomblé no Brasil, os Bantus foram os que mais se aproximaram aos nativos brasileiros. Com isso no final do século XVIII surgiram no Recôncavo Baiano os primeiros Candomblés de Caboclo.
Os dirigentes desses Terreiros cultuavam no mesmo terreno, mas em espaços separados, divindades africanas e espíritos de nativos brasileiros denominados de "Índios ou Caboclos". Esses espíritos, quando se manifestavam nestes Terreiros, eram classificados como Caboclos de Pena ou Caboclos de Couro.
Os Caboclos de Pena eram os índios das tribos que viviam da caça, pesca e que se adornavam com penachos, cocares e colares artesanais. Os Caboclos de Couro eram os espíritos dos vaqueiros ou boiadeiros tratadores de gado que usavam indumentárias e chapéus de couro. Todos esses Caboclos tinham como finalidade o aconselhamento aos aflitos, lhes indicando banhos, defumadores, oferendas e tudo que pudesse ajudá-los na resolução dos problemas.
Esses Candomblés de Caboclos foram importantes na conquista de novos adeptos, por ter uma percepção menos formal em sua forma de culto, por cultuarem tanto as divindades africanas (conservando a essência de seus ritos) quanto os Caboclos da terra.
Os antigos sacerdotes desses Terreiros correlacionaram os nossos Caboclos ou nativos ancestrais ao Senhor da floresta e Dono da caça: Oxossi.
Na África, o culto a Oxossi desapareceu quando a cidade de Kétu foi dominada pelos Fons, com a ajuda dos europeus. O culto a Oxossi foi difundido aqui, no Brasil, com a vinda de importantes sacerdotes na época da colonização.
Oxossi na Umbanda é Chefe da Falange de Caboclos e está sincretizado a São Sebastião. Os Caboclos na Umbanda são Guias, Chefes de Terreiros que trabalham em prol da evolução espiritual de todos, através da prática da caridade.
Aqui estão alguns nomes de Caboclos: Caboclo Pena Branca, Pena Vermelha, Tatuité, Junco Verde, Aimoré, Guará, Cacique das Matas, Cobra-coral, Cabocla Jarina, Cabocla Jurema, Cabocla Jacira, Ventania, Caçador, Sete Estrelas da Jurema, Sete Flechas, Rompe Mato, Boiadeiro Navizala e Boiadeiro da Campina.
Okê, Caboclo!
Xetruá, Marronbaxetú!
Em Guarani: Nandejara tande rovasa! (Deus vos abençoe!).
Axé!

Pergunte a Ifá

Aos amigos internautas, iniciados e abian  que ainda não tiveram acesso ao Corpus literário de Ifá, mostraremos um de seus versos contidos no Odù Èjì Ogbè (Èjì Onilè).
Estas mensagens cifradas e as parábolas são uma rotina neste tipo de literatura que há pouco tempo atrás tinha-se conhecimento apenas através da oralidade. Hoje temos acesso a vários livros, blog, site e trabalhos avulsos para podermos começar a entender este mundo, ainda novo para o ocidente, chamado filosofia de Ifá.
Este Corpus Literário contém 16 Odù chamados Olódù (Èjì Onilè, Òsá, Òbàrà, Òfún e etc.) e 240 Ọmọ Odù, cada um deles trás em seu Corpus Literário algo perto de 1648 versos/poemas/mensagens de Ifá (O porta voz, aquele que guarda os ensinamentos de Olódùmarè), o que temos abaixo é um exemplar destas mensagens. Os sacerdotes de Ifá devem ter estes versos de cor, o maior número possível, pois, estes versos se completam, somando-se a ele, o tabu do consulente, o etùtú, o osè dùdù e mensagem de Ifá para a mudança da sua vida.
Somente assim conquistaremos vitórias, somente obedecendo a orientação de Ifá conseguiremos chegar a um bom lugar.

Boa leitura.

Éjì Ogbè

Nós lançamos Ifá com nossa mão (Nós batemos Ikin).
Nós pressionamos Ifá no chão.
Elesa a gbo gi (nome do sacerdote)
Foi lançado Ifá para Ogbè (foi feito o jogo).
Quando ele vinha do Céu para a Terra.
Eles disseram que Ogbè iria entrar no mundo.
Ogbè foi aconselhado a realizar sacrifício (fazer ebo).
Ogbè consultou os itens para o sacrifício.
Ogbè deve sacrificar um rato para trilhar caminhos no mato.
Um peixe para traçar caminhos através do oceano.
Um galo para limpar os caminhos na Terra.
Eles disseram que Ogbè alcançaria o mundo.
Ogbè realizou o sacrifício.
Ogbè se aventurou.
Ele chegou à floresta.
Ogbé ficou perplexo.
Èsù sussurrou no ouvido dele.
Lembre-se você tem um rato para abrir caminho na floresta.
Ogbé usou o rato.
O rato desbravou um caminho pela floresta.
Èsù disse para Ogbè segui-lo.
Quando ele saiu da floresta.
Ogbè encontrou o oceano.
Ogbè ficou perplexo.
Èsù sussurrou no ouvido dele.
Lembre-se você tem um peixe para traçar um caminho através do oceano.
Ogbè deixou o peixe cair na água.
O peixe começou a nadar.
Èsù disse para Ogbè segui-lo.
Quando ele nadou para fora da água.
Ele encontrou a cidade.
Ele não sabia que direção tomar.
Èsù sussurrou no ouvido dele.
Lembre-se você tem um galo para encontrar um caminho na Terra.
Èsù disse para Ogbè seguir o galo.
Ogbè chegou ao centro da cidade.
Ele ficou feliz e começou a dançar e se alegrar.
Nós lançamos Ifá com nossas mãos.
Nós pressionamos Ifá no chão.
Elesa gbo gi (nome do sacerdote).
Foi ele quem lançou Ifá para Ogbè.
No dia que ele estava vindo do Céu a Terra.
O rato usa seu Orí para abrir caminhos na floresta.
O peixe usa seu Ori para abrir caminhos no oceano.
O galo usa seu Ori para abrir caminhos na Terra.
Ogbè, portanto, tornou-se popular (ele obteve sucesso).
A estrela de Ogbè não deve cair como as folhas das árvores.
Ogbè deve ascender um caminho através da dificuldade.
Sagrado Odú Éjì Ogbè.

De acordo com a filosofia e estilo de vida do òrìsà, a vida é uma viagem.
Àjò l’ayè, a viagem da vida, é marcada por muitos portais de iniciação. Cada portal exige uma separação do passado, em favor do que é e o que será. E tão misterioso quanto possa parecer, a viagem fundamental, bem como os portais da iniciação, são tão naturais quanto à própria vida. Desde o nascimento até a adolescência, passando pela idade adulta e além, todas as nossas experiências são ritos de passagens ao longo do caminho da vida.

Ainda assim, o caminho leva-nos através de alguns territórios perigosos, durante o qual as decisões importantes devem ser tomadas, esperamos não só sobreviver à viagem, mas também prosperar. No versículo acima, Ifá usa as metáforas da floresta, do oceano e da terra para exemplificar a gama de capacidade de adaptação e preparação necessárias para a navegação bem sucedida.

E a dificuldade de sucesso?
Quando você falha, você é forçado a se ajustar, buscar novas metodologias e fazer novas alianças. Mas quando você é bem sucedido, é tentador tentar aplicar novamente as mesmas práticas que uma vez funcionaram tão bem às novas circunstâncias. Infelizmente, isso raramente demonstra ser eficaz. Você tem que tentar todas as novas práticas, mas, ao mesmo tempo, manter um senso claro de verdade pessoal e identidade.

No verso de Éjì Ogbè acima, foi Èsù que repetidamente lembrou Éjì Ogbè dos itens de sacrifício que ele estava carregando e quando deveria fazer uso deles em diferentes fases da viagem.
E este é o segredo do sucesso a longo prazo:
Cada um de nós, sem exceção, tivemos alguém que acreditou em nós e nos deu a orientação adequada e que precisávamos para satisfazer a paisagem em constante mudança na jornada da vida.

Às vezes, apesar de nosso conhecimento, do nosso talento e experiência só precisamos de alguém para nos dizer o que fazer e quando devemos fazê-lo!
A nossa capacidade de reconhecer esses momentos e nos dar bons conselhos vai fazer a diferença entre ser chamativo e inesquecível, entre competência e excelência, entre ser competitivo e ser superior.

Como saber mais sobre como estabelecer uma relação com um conselheiro confiável que irá ajudá-lo a otimizar seus dons e talentos naturais?
Pergunte a Ifá.

Àse.

Sim ! Eu Amo...







Ablânia










Ablânia - Aquele que está Dando os Primeiro passos no Candomblé, sem compromisso fiel ao Orixá. 
Conhecendo sobre o Axé da casa, e após esta trajetória pode ser um Yahoo  assim tendo compromisso com a Casa.
Yaô- Aquele que já passou por Abiã e agora feito o santo passa a ser um Yaô cumprindo com suas obrigações na casa de santo. 
Cumprindo suas obrigações de 1, 3, 5 ( em algumas casas ), 7 tornando assim um Egbomi .
Chamado de Yaô , Muzenza, Kadango ou Unheta !
E Aproveitando Posto o Manual do Bom Yaô
Manual do bom filho de santo - Yao - Iaô.
Conhecimentos do Candomblé, cultura, devoção, respeito ao orixá e a si próprio.
Percebendo que com a modernidade dos tempos a religião espírita tede a adaptar-se a atualidade, encontrei um ótimo documento que é o “Manual do Yahoo (iaô, Yao = Filho de santo). neles estão a conduta do filho de santo (Omo Orixá), no caso um Yahoo que é nada mais, nada menos que um recém iniciado dentro do candomblé (culto ao orixá), ele pode variar muito de barracão para barracão (casa de santo), de nação para nação (ketu, jeje, angola, nagô, e fon), e da filosofia do babalorixá (o modo ao qual o pai de santo foi doutrinado em sua casa).

O manual do bom filho de santo não é só para os iniciados, pois a palavra Iaô (Yawo) significa esposa, um filho de santo é Yawo até seus 7 anos de obrigação paga dentro do Candomblé (isso é ele tem que tomar a obrigação de sete anos para deixar de ser um Iaô e se tornar um ebomi, dai ele poderá deixar de comprar várias obrigações de um Yahoo (novo de santo), pois deixou de ser uma criança na casa, e exercendo um grau acima, podendo até em alguns casos abrir seu próprio barracão (terreiro, Ilê axé, casa de santo, barracão), se tornando um babalorixá (pai de santo), se no caso ele tiver um cargo de santo (carma espiritual que implica em cuidar de outros filhos de santo).
Então vamos ao que interessa, esse texto sobre a conduta do filho de santo dentro de uma casa é muito importante para o equilíbrio da própria, pois uma casa Orixá não tem prosperidade se não houver respeito e designação das hierarquias (1º Pai de santo, 2º ekedi, ogã, 3º ebomi, 4º filhos de santo .

Gostaria muito que os Omo orixá (filhos de santo) já iniciados dessem uma lida no conteúdo abaixo, pois será de grande proveito, e os que estão querendo se iniciar dentro da Religião tanto do Candomblé quanto da Umbanda leiam com atenção o que é uma vida de devoção e respeito ao seu Orixá, o Orixá do Pai de santo, seu Ori (sua cabeça) e os demais postos dentro do Ilê axé (casa de santo).

Yahoo ou Abiã, Caso assista fora do seu barracão a algo diferente do que ocorre em sua casa, nada de ficar xoxando e chamando de marmoreiro.
Você não é o dono da verdade e nem ninguém o é.
O que pode parecer maluquice pra você, pode não ser pro próximo.
Não é errado, é diferente de sua casa.
Além do mais, comentários sempre são feitos depois.
Vai que tem alguém conhecido escutando?

Yahoo ou Abiã, Ninguém tem mais ou menos santo que ninguém.
Isso é regra.
Sempre.
Respeito é bom e conserva os dentes.
Portanto, deve-se pensar duas vezes antes de envolver o pai de santo e irmãos em determinadas brincadeiras de mau-gosto.
Apelidos e avacalhações são da porta do barracão pra fora.
Além do mais, a próxima vítima pode ser você.

Yahoo ou Abiã, Roupa de barracão é saia comprida, camisú e pano da costa.
Shortinhos e tops devem ser usados somente pra ir ao baile funk.

Yahoo ou Abiã Sempre que for servir alguém mais velho de santo, deve-se levar o pedido numa bandeja ou prato e abaixar-se para servir

Yahoo ou Abiã, Benção foi feita para ser trocada.
Sempre que você pede a benção, você está na realidade pedindo a bênção ao Orixá da pessoa, e não a ela própria.
Portanto, todos devem trocar a benção, mais velhos com mais novos e vice-versa.

O Yahoo ou Abiã,Quando você estiver em uma roda de pessoas dentro da sua casa de santo ou de outro barracão qualquer, abaixe o seu ori e peça a benção até o periquito que estiver chegando, você não sabe quem é ele e ele pode ser bem mais velho que você, um tio de santo ou qualquer outro egbomi, é preferível você pedir a benção a alguém mais novo do que errar passando por cima dos mais velhos.
Lembre-se que para nosso Zelador (a) seremos sempre YAO. (Como para nossa Mãe carnal, seremos sempre crianças).



O Yahoo ou Abiã ,Não deve retrucar seu- pai - santo da frente de outras pessoas mesmo se forem seus irmão se tem algo que vc não gostou converse com ele.

O Yahoo ou Abiã não deve bater boca com seus irmão ,isso é falta de educação de axé uma boa conversa resolve tudo ,se não revolver ai sim levam o problema para o pai de santo O Yawo ou Abiãn,Caso tenha algo para falar que não esteja concordando, discretamente peça um minuto da atenção do pai de santo e exponha a situação civilizadamente, sem precisar que a torcida do Flamengo esteja assistindo.
Dar um escândalo no meio do barracão não é postura de um filho de santo, e você ainda corre o risco de tomar um fora na frente de todo mundo.

Observando que algumas dessas regras são para os que já se iniciaram no santo ,mais se desde agora nos concretizamos fiara muito mais fácil 

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis