REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Por Que Se Fala “IBORU IBOYA IBOSHESHE”: A HISTÓRIA


Neste pataki irá mostrar por que se saúda IBORU, IBOYA, IBOSHESHE entre os membros (família de Ifá), toda cultura tem sua saudação particular, no Candomblé Ketu (fala-se Motumbá / Motumbalaxé responde-se), na nação de Angola (fala-se Mukuiu/ Mukuiu no Zambi responde-se), no Gegê (fala-se kolofé/ kolofé Olorun responde-se), mas o Iton(lenda) de hoje é sobre Iboru, Iboiá, Iboxexé.

A HISTÓRIA DE IBORU IBOYA IBOSHESHE


“Onde OLÓFIN prendeu todos os BABALAWÓS”
OLÓFIN sentenciou aos BABALAWÓS à serem presos e decapitados.
Somente ficou faltando ORUNMILÁ “OGUNDA MEJI”, porque estava fazendo algumas oferendas e sacrifícios.

Os animais sacrificados foram cozidos e colocados numa bolsa com outros ashés.
Partiu em direção à casa de OLÓFIN e no meio do caminho sentou-se embaixo de uma árvore e viu uma mulher na beira de um rio, que falou: Cuidado veio parindo uma bananeira ( falou em parábolas).

A mulher lhe disse que havia muitas ciladas pelo caminho.

ORUNMILÁ “Ogunda Meyi” lhe deu uma galinha e lhe perguntou o seu nome, esta responde: IBORU IBOYA

Seguindo o seu caminho ORUNMILÁ “Ogunda Meyi” encontrou-se com outra mulher cortando lenha que ao vê-lo falou:
Que todos os BABALAWÓS ficaram presos, tenha cuidado!

ORUNMILÁ tirou de sua bolsa uma galinha e deu a mulher de presente e perguntou seu nome, e ela respondeu: IBOYA
IBOSHESHE

Ogunda Meyi se despediu da segunda mulher e seguiu seu caminho, mais na frente encontrou a terceira e última mulher.
Esta lhe disse que OLÓFIN desejava casar sua filha, Ogunda Meyi lhe deu de presente uma galinha e perguntou o nome dela e esta respondeu: IBOSHESHE

Ogunda Meyi chegando à casa OLÓFIN, este lhe disse que o estava esperando para fazer um jogo (osode) com IFÁ, porque tinha em uma parente grávida e gostaria de saber qual a oferenda seria necessária para que a mulher parisse bem.
Ogunda Meyi que sabia da cilada lhe respondeu:

Isso não será necessário, porque a bananeira não pode parir. Descoberto o segredo de OLÓFIN, além disso, disse a e ele que mantinha presos todos os demais BABALAWÓS e deveria soltá-los rapidamente para poder salvar-se e que ele também desejava casar a sua filha.
OLÓFIN desconcertado e vendo que tudo era verdade libertou à todos os BABALAWÓS.

Ao sair Ogunda Meyi lhe disse que isto havia acontecido por desobediência e que havia sido salvo por fazer algumas oferendas e sacrifícios.
Agradecido OLÓFIN disse ODUPKÉ Ó (obrigado)!

Porém Ogunda Meyi sabia da cilada, pois as três mulheres o avisaram.

ORUNMILÁ tomou as três mulheres como esposa e assim as salvou. Disse a todos que deste dia em diante, quem se dirigisse a ele deveria dizer:
IBORU, IBOYA, IBOSHESHE em homenagem as mulheres que os salvaram, as três sortes de ORUNMILÁ.

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis